Em Junho de 2007, o IASA (Global IT Architects Association), estudou diferentes tipos de arquitetos de variados setores da indústria para chegar a uma série de recomendações gerais para as funções de um arquiteto de TI dentro de uma empresa.

Segundo o IASA, o estudo possibilitou a identificação de 4 funções para um arquiteto, ilustradas na figura a seguir: 

 

Arquiteto corporativo

A missão para um arquiteto corporativo (com foco em IT) consiste em apoiar a estratégia de negócio da organização com soluções de tecnologia e informações. O arquiteto corporativo, ou grupo de arquitetos corporativos, deve ser responsável pela estratégia global sobre as capacidades de TI, bem como para garantir que a arquitetura de TI seja rentável.

É esperado que esse profissional tenha profundo conhecimento do negócio da organização, além de competências de: 

  • liderança e capacidade de negociação;
  • experiência em governança, economia e gerenciamento de projetos;
  • conhecimento em arquitetura corporativa e modelagem de negócios.

Arquiteto de negócios

Esse tipo de arquiteto trabalha muito próximo ao negócio e entende detalhadamente como funciona a organização. Eles estão presentes na modelagem de processos da organização, e dão suporte na definição de arquiteturas, realizando a análise de requisitos de soluções novas ou existentes.

É esperado que esse profissional tenha profundo conhecimento do negócio da organização, além de competências de: 

  • liderança e capacidade de negociação;
  • experiência em governança, economia e gerenciamento de projetos;
  • conhecimento em arquitetura corporativa e modelagem de negócios. 

Arquiteto de soluções

Arquitetos de soluções têm responsabilidade especial para serviços e funções de reusabilidade. Eles alinham novas soluções para os princípios arquiteturais definidos em uma organização e as relaciona com foco em integração. Eles equilibram os requisitos funcionais e não-funcionais de acordo com as prioridades da empresa.

É esperado que esse profissional tenha: 

  • amplo conhecimento técnico (geral);
  • profundos conhecimentos em infra-estrutura, modelos de dados, orientação a serviço;
  • boa compreensão da arquitetura corporativa. 

Arquiteto de software

O arquiteto de software trabalha com a estrutura e o design de sistemas de software. O foco para o arquiteto de software é principalmente o projeto atual, enquanto o arquiteto de soluções tem um foco mais amplo, ligado a políticas e regulamentos.

É esperado que esse profissional tenha profundos conhecimentos em programação, frameworks, padrões e modelagem técnica.

Outros tipos de “arquiteto de TI”

Como vimos, cada organização poderá requerer algum dos arquitetos descritos, ou em alguns casos, todos. Embora a arquitetura dentro de TI seja uma função mais do que necessária, a forma e os limites de atuação de um arquiteto podem diferir dependendo do contexto, não havendo em muitos dos casos um consenso.

Já tive conhecimento de pessoas atuando com o cargo (ou papel) de:

  • Arquiteto de Sistemas
  • Arquiteto de Dados
  • Arquiteto SOA
  • Arquiteto de Infraestrutura
  • entre outras…

Também já ouvi muitas histórias sobre arquitetura compartilhada, embora nunca tenha presenciado um cenário desse tipo funcionando a contento.

Todavia, o importante em tudo isso é entender que: A arquitetura é uma atividade presente no desenvolvimento de qualquer software, ainda que ela seja negligenciada (afinal, mesmo sem pensar em uma arquitetura, o software depois de construído possuirá uma, certo?).

Agora é com você

Isso posto, refletindo sobre a empresa onde você trabalha, quais tipos de arquiteto são necessários? E se você não enxerga utilidade nesses papeis, por favor, exponha nos comentários suas razões.