Se você não leu os posts anteriores da série, faça agora.

 

Falácia no estilo “hey, meu sobrenome é polêmica”

A definição que mais gosto para a palavra “polêmica” é: 

Disputa amigável mas acalorada.

Ou seja, é uma oportunidade rica para confrontar ideias, expor novas visões sobre algum tema, enfim, produzir conteúdo relevante. O problema, é quando usa-se da polêmica para criar argumentos falaciosos.

Um bom exemplo é a introdução de um falso dilema num debate. Funciona da seguinte forma: A pessoa coloca um número limitado de opções (na maioria dos casos apenas duas), quando de fato existem mais. O falso dilema é um uso ilegítimo do operador "ou". Como, por exemplo, na frase “Utilize a tecnologia xyz OU você ficará ultrapassado.”

Outra forma engenhosa de gerar polêmica falaciosa é o apelo à ignorância. Nesse caso, os argumentos concluem que algo é verdadeiro por não se ter provado que é falso, ou conclui que algo é falso porque não se provou que é verdadeiro. 

Há ainda a possibilidade do interlocutor se valer de uma pergunta complexa onde dois tópicos sem relação, ou de relação duvidosa, são conjugados e tratados como uma única proposição.

Seek & Destroy

Dois exercícios para identificar e matar esse tipo de falácia.

Identifique as opções dadas e mostre (de preferência com um exemplo) que há pelo menos uma opção adicional.

Identifique as duas proposições conectadas e mostre que acreditar numa não implica acreditar na outra.