Warning: A non-numeric value encountered in /home/storage/2/cd/76/leandrodaniel/public_html/wp-content/themes/Divi/functions.php on line 5806

Aproveitando o embalo do meu post dessa semana sobre o padrão de injeção de dependência, vamos ver o bloco da Enterprise Library responsável por prover essa funcionalidade, chamado Unity Application Block. Criado inicialmente como um projeto separado no CodePlex foi incorporado a Enterprise Library na versão 4.0.

No exemplo de código abaixo a classe Servico utiliza a classe TraceSourceLogger para registrar os passos executados na inicialização e paralização, ou seja, a classe Servico conhece e depende da classe concreta TraceSourceLogger.

public class Servico
{
    private TraceSourceLogger logger;

    public Servico()
    {
        logger = new TraceSourceLogger("Agent");
    }

    public void Iniciar()
    {
        logger.Log("Iniciando serviço...", System.Diagnostics.TraceEventType.Information);

        // Código de inicialização do serviço...

        logger.Log("Serviço iniciado.", System.Diagnostics.TraceEventType.Information);
    }

    public void Parar()
    {
        logger.Log("Parando serviço...", System.Diagnostics.TraceEventType.Information);

        // Código de parada do serviço...

        logger.Log("Serviço parado.", System.Diagnostics.TraceEventType.Information);
    }
}

O problema aqui é que qualquer alteração na forma de realizar o log da operação implicaria em alterações na classe Servico. Por exemplo, se quiséssemos substituir a classe TraceSourceLogger por outra que realizasse a operação gravando no Event Viewer teríamos que realizar a alteração na classe Servico, inclusive recompilando o projeto.

Uma boa prática aqui é fazer com que ao invés de instanciarmos diretamente a classe concreta o fizéssemos através de uma interface, conforme ilustrado no diagrama a seguir:

ClassDiagram1

Em seguida utilizamos o Unity para resolver as chamadas às classes concretas da seguinte forma. Primeiro adicionamos no arquivo de configuração do projeto as configurações abaixo:

<?xml version="1.0" encoding="utf-8" ?>
<configuration>
    <configSections>
        <section name="unity" type="Microsoft.Practices.Unity.Configuration.UnityConfigurationSection, Microsoft.Practices.Unity.Configuration" />
    </configSections>
    <unity>
        <typeAliases>
            <typeAlias
              alias="ILogger"
              type="Reverb.Loggers.ILogger, Reverb.DI" />
            <typeAlias
              alias="ConsoleLogger"
              type="Reverb.Loggers.ConsoleLogger, Reverb.DI" />
            <typeAlias
              alias="TraceSourceLogger"
              type="Reverb.Loggers.TraceSourceLogger, Reverb.DI" />
            <typeAlias
                alias="EventViewerLogger"
                type="Reverb.Loggers.EventViewerLogger, Reverb.DI" />
        </typeAliases>
        <containers>
            <container>
                <types>
                    <type type="ILogger" mapTo="TraceSourceLogger" />
                </types>
            </container>
        </containers>
    </unity>
</configuration>

No arquivo acima indicamos quais os tipos desejados e como o container deve resolver a implementação concreta para a interface ILogger. Depois, alteraríamos a classe Servico conforme exemplo a seguir:

public class Servico
{
    private IUnityContainer container;
    private UnityConfigurationSection section;
    private ILogger logger;

    public Servico()
    {
        container = new UnityContainer();
        section = (UnityConfigurationSection)ConfigurationManager.GetSection("unity");
        section.Containers.Default.Configure(container);
        logger = container.Resolve<ILogger>();
    }

    public void Iniciar()
    {   
        logger.Log("Iniciando servico...", System.Diagnostics.TraceEventType.Information);

        // Código de inicialização do serviço...

        logger.Log("Servico iniciado.", System.Diagnostics.TraceEventType.Information);
    }

    public void Parar()
    {
        logger.Log("Parando servico...", System.Diagnostics.TraceEventType.Information);

        // Código de parada do serviço...

        logger.Log("Servico Parado.", System.Diagnostics.TraceEventType.Information);
    }
}

Note que no código acima não definimos em momento algum qual seria a implementação da classe concreta que realiza a operação de log, pois isso fica a cargo do container do Unity que resolverá essa dependência de acordo com o que definimos no arquivo de configuração da classe.

Se quiséssemos agora alterar a implementação de classe concreta que resolveria o log bastaria modificar no arquivo de configuração, como no exemplo a seguir:

<containers>
    <container>
        <types>
            <type type="ILogger" mapTo="ConsoleLogger" />
        </types>
    </container>
</containers>

Bem fácil, não? Na revista .net Magazine edição 62 terá um artigo meu sobre Injeção de Dependência com o Unity Application Block, colocarei mais informações aqui na próxima semana, aguardem!

Até o próximo post.